quinta-feira, 4 de março de 2010

Ter gato ou cachorro indica a personalidade?



Com qual você simpatiza mais? (Foto: walldesk.net)

Adoro ler reportagens sobre pesquisas, desde as mais sisudas até aquelas de cruzam dados esquisitos, como a relação entre dias de chuva e queda de cabelos (inventei essa, viu!).

Esta semana conheci o resultado de um estudo feito por uma equipe de pesquisadores da Universidade do Texas que indica que a preferência por gatos ou cachorros pode ser um indicador da personalidade da pessoa.

Foram ouvidas 4.500 pessoas, que responderam a algumas perguntas que mediam suas personalidades em cinco áreas: simpatia, extroversão, facilidade de adaptação, consciência e neurose. Essas áreas foram indicadas em pesquisas anteriores como componentes da maior parte dos traços da personalidade de um indivíduo.

Na pesquisa, os entrevistados também deveriam indicar se gostam mais de gatos, de cachorros, de ambos, ou de nenhum – lembrando que elas não precisavam, necessariamente, possuir o animal de sua preferência.

O resultado mostrou que as pessoas que gostam mais de gatos são mais neuróticas, mas possuem uma maior facilidade de adaptação – são vanguardistas e aceitam idéias novas de forma mais rápida. Já as pessoas que curtem mais os cães tendem a ser mais extrovertidas e simpáticas.

Os pesquisadores acham que esses traços combinam exatamente com a personalidade dos animais que os entrevistados marcaram como de sua preferência. Cachorros são extrovertidos e brincalhões enquanto gatos podem ser mais neuróticos, mas têm facilidade de se adaptar a novas situações.

A descoberta pode ser útil para identificar qual é o melhor animal para cada pessoa e para avanços na terapia de humanos com o uso de animais. No entanto, os cientistas ainda não sabem se as pessoas escolhem animais que são parecidos com elas ou se são os próprios animais que transmitem os traços de sua personalidade para os donos.

Além disso, os cientistas consideram que pessoas que gostam mais de cachorros podem ter um gato ou vice-versa, já que há outras questões que influenciam a escolha de um mascote – espaço disponível, por exemplo.

Olha, tenho um exemplo bem próximo de mim sobre os resultados desta pesquisa. Uma grande amiga minha da faculdade tem gato, e eu tenho cachorro. Ela sempre foi mais introvertida, e eu, extrovertida. Tanto que na época do curso nos chamavam de Pink e Cérebro (os ratinhos, sabem?). Eu era o Pink, é óbvio!!

Um comentário:

Janaína disse...

Adorei! Então eu sou meio a meio, pq adoraria um gato tb... acho que o Will tb (mesmo q ele esteja traumatizado com as gatas de minha sogra; xá pra lá). Mas o pai dele não tem jeito de querer... hehehe

Bjs.