segunda-feira, 8 de março de 2010

Lambida pode sim! Mas fique de olho na higiene

Lá vem o beijo! (Foto: divulgação)



Alguns podem achar nojento, mas no meu dia-a-dia aqui na PetCreche ganho muitas lambidas no rosto. Alguns dão beijinhos quando chegam, outros quando fazemos brincadeiras que gostam, ou então depois de um carinho.

Mas daí entra a questão: como a saliva dos cães transporta vermes, bactérias, vírus e fungos, corremos risco de pegar alguma doença com as lambidas que eles nos dão? A resposta é SIM. Mas duas medidas podem reduzir consideravelmente este risco: manter seu bichinho limpo, com vacinas e vermifugação em dia, e evitar que ele lamba seu rosto em regiões muito próximas à boca, ao nariz e aos olhos.

A saliva do cachorro em si não contém doenças. O que acontece é que, durante o passeio, ele costuma cheirar as fezes dos colegas com a finalidade de reconhecimento de território: saber quem são os outros animais que estão nas redondezas. Assim, ele pode acabar ingerindo o ovo de um verme, caso as fezes estejam contaminadas. Inclusive cães vermifugados correm risco de adquirir doenças, pois os vermífugos não têm efeito residual prolongado. E mesmo que o cão não fique doente, poderá transmitir esse ovo ao homem pela saliva.

Embora seja uma maneira de evitar que a boca do cachorro se transforme em vetor de doenças, os veterinários não recomendam que se prive o bicho de cheirar outros animais nem as fezes alheias. É uma forma de interação social. Se você não permite isso, está indo contra a natureza dele.

Além de afeto, a lambida pode ser uma demonstração de reverência. Lambidas perto do queixo ou da boca estão relacionadas com submissão. O gesto é um sinal de que ele vê a pessoa como o manda-chuva do pedaço. A recomendação, então, é limpar a boca (paninho úmido por fora e escova de dentes por dentro) e as patinhas do seu cão na volta do passeio. Se você permitir as lambidas, lave bem o rosto, mãos, braços etc depois.

Eu, por garantia, tomo vermífugo de tempos em tempos.


>> Alguns cuidados para prevenir doenças

• Não compartilhar cama e alimentos com os animais, por mais que eles sejam queridos.

• Evitar carinhos, como beijos e/ou lambidas, muito próximo ao rosto (lábios, nariz e olhos).

• Recolher rapidamente as fezes e a urina dos animais (não deixando-as expostas a moscas e ao contato humano), assim como desinfectar adequadamente o local.

• Procurar assistência terapêutica sempre que alguém for arranhado e mordido por um gato e/ou mordido por um cão.

• Consultas periódicas ao veterinário e/ou quando o animal apresentar algum problema de saúde.



Um comentário:

Janaína disse...

Muito bom e educativo esse post... mas o Will não me lambe... não sei se por respeito, mas mesmo que eu queira (e eu adoraria pq sou eu a carente, rs) ele raramente o faz.

Valeu as dicas. Bjs.