quinta-feira, 11 de março de 2010

Páscoa = chocolate = cuidado com a intoxicação!

Tortura! Tô passando reto! (Foto: divulgação)

Gente, o que são os supermercados já cheios de ovos de Páscoa?! Só uma pessoa com muito auto-controle pode fazer as compras agora e esperar mais de 20 dias para poder devorar as gostosuras. Eu passo reto por aquela parreira de chocolate, olho pro chão e empurro o carrinho bem rápido! Onde estão as verduras, "pelamordedeus"?? Meu problema com a Páscoa é um só: sou alucinada por chocolate. Tortura ter os ovos em casa desde já. O risco de comprar agora é não ter mais nada na hora de presentear, pois com certeza eu iria acabar abrindo antes. O problema é que quando decido comprar, não encontro tudo o que eu queria. But...


Tá, mas qual a relação da Páscoa mesmo com os cachorros?? Tcharam! Na época da Páscoa, onde “brota” chocolate por todo canto, é a fase crítica para intoxicação por chocolate em cães. Ele é muito perigoso para os nossos mascotes e pode levar ao coma e até mesmo à morte.

O chocolate tem em sua composição uma substância chamada Teobromina (encontrada no cacau), que são rapidamente absorvidas após ingestão oral e são estimulantes poderosos do sistema nervoso central e do coração. A Teobromina provoca um intenso aumento no trabalho muscular cardíaco associado à uma grande estimulação do cérebro, ocasionando arritmias cardíacas graves em cães.

A concentração dessa substância no chocolate pode ser de 3 a 10 vezes maior do que na cafeína, por exemplo e a quantidade dela para intoxicar gravemente um cão é calculada em torno de 100 a 200 mg/kg. Porém, há relatos de sintomas de intoxicação, como vômitos e diarréia, com ingestão de apenas 20 mg/kg; e também há relatos de sintomas de efeitos cardiotóxicos com ingestão de 40 a 50 mg/kg de chocolate. Há, ainda, relatos de efeitos drásticos com a ingestão não só de chocolate em barra, mas também de chocolate em pó dissolvido em leite e oferecido à cães.

Geralmente, os efeitos clínicos dessa intoxicação são percebidos entre 6 a 12 horas após a ingestão do chocolate. Os sintomas iniciais são: aumento da ingestão de água, vômito, diarréia, dilatação abdominal e inquietação (incômodo, agitação). O quadro pode evoluir para hiperatividade, aumento do volume urinário, ataxia, tremores e estado de apreensão. E, mais fatidicamente, aumento da frequência dos batimentos cardíacos (taquicardia), aumento dos movimentos respiratórios (taquipnéia), azulamento das mucosas (cianose – falta de oxigenação nos tecidos), hipertensão, aumento da temperatura corpórea e o quadro pode, enfim, evoluir para hipotensão, queda da temperatura corpórea, coma e morte.

Ainda há o fato de que, como o chocolate possui grande quantidade de gordura, o pâncreas também sofre importantes danos.

Bom, como os casos de ingestão de chocolate podem ocasionar fins drásticos, o melhor é evitar que seu cão coma chocolate. E essa dica não está restrita apenas à época da Páscoa, mas a todos os dias do ano.


2 comentários:

Luciana disse...

A Polly se cuida por conta própria: ela não suporta nem o cheiro de chocolate!!!
Basta colocar algo com chocolate relativamente perto do focinho dela que a marronzinha já sai "andando de ré"... deve ser instinto de auto-preservação, hehe.

Janaína disse...

Ui que coisa, não imaginava todos esses sintomas... achava q fazia mal por sair da dieta deles...

Lá em casa estou de dieta, então chocolate é algo que o Will não terá nem cheiro, hehehe.